en

Dia da Privacidade dos Dados 2014 – Comece a proteger sua privacidade hoje

28 January 2014
By Dave Piscitello

Data Privacy Day 2014 Logo

Com a nossa dependência cada vez maior da Internet, parece ser impossível manter a confidencialidade de qualquer coisa. As redes sociais nos incentivam a compartilhar. Os coletores de dados nos incentivam a divulgar dados de identificação, nossas preferências pessoais e nosso comportamento on-line em troca de serviços gratuitos. Programas de vigilância controversos coletam volumes de dados cada vez maiores. Diariamente, todos os usuários da Internet – voluntariamente, intencionalmente ou não – divulgam algumas informações que teriam preferido manter em privacidade, ou que posteriormente se arrependem de compartilhar. Na era do Big Data, o que os usuários compartilham muitas vezes não é só coletado, mas também compartilhado entre coletores de dados.

O Dia da Privacidade dos Dados, um evento anual promovido pela NCSA (Aliança Nacional de Segurança Cibernética), tenta transmitir para os usuários de Internet a ideia de que a privacidade é importante. O Dia da Privacidade dos Dados é um complemento do programa Pare. Pense. Conecte. da NCSA. Esse programa incentiva os usuários a parar para considerar se as atividades on-line em que se envolvem ou os sites que acessam são benéficos ou prejudiciais antes da conexão. O Dia da Privacidade dos Dados incentiva os usuários a parar para pensar se as informações que divulgam on-line são benéficas, possivelmente prejudiciais ou invasivas demais.

Esses programas são muito importantes porque, no fim das contas, quanto mais bem informados os usuários de Internet, mais provável é que eles compartilhem e divulguem informações com responsabilidade. O Dia da Privacidade dos Dados é o momento perfeito para considerar as orientações a seguir:

  1. Compartilhar é o oposto de "manter em privacidade". Não existe nada similar a cochichar um segredo para um amigo no espaço cibernético. Uma vez que você compartilha ou divulgaqualquer informação no espaço cibernético, é possível que ela se torne pública e que permaneça assim para sempre.
  2. "Grátis" quase sempre tem um preço para a sua privacidade. Os coletores de dados e a pressão social fazem com que seja extremamente difícil de resistir à tentação de aceitar serviços gratuitos em troca de dados pessoais. Se você não puder resistir, pelo menos entre no contrato de olhos abertos: praticamente não existem circunstâncias em que o acesso ou uso gratuito de um serviço na Internet ou de um site de rede social seja realmente sem custos.
  3. Conhecimento é poder. Leia os termos de uso (termos de serviço) e políticas de privacidade, pelo menos até saber se está permitindo que terceiros compartilhem seus dados privados, concedendo direitos autorais de seus trabalhos, ou concordando com a utilização de seus dados privados (inclusive fotos) para fins de marketing.
  4. O respeito aos dados privados é essencial em qualquer compromisso que você fizer com o compartilhamento. Estude. Tenha certeza de que a parte em quem você vai confiar respeita sua privacidade antes de compartilhar qualquer informação.
  5. Pense bem no que você vai compartilhar. Nenhuma substituição ou configuração de privacidade pode compensar a falta de bom senso. No fim das contas, você é responsável pelos benefícios ou danos resultantes do que você diz, compartilha ou revela.

Apesar dos esforços dos "cães de guarda", ativistas e informantes, muitos usuários da Internet continuam alheios aos programas de coleta de dados e vigilância. No entanto, conforme os usuários se informam melhor, eles ganham mais capacidade de insistir que os coletores de dados e programas de vigilância ajam com responsabilidade e transparência. Geralmente, os usuários de Internet podem medir a responsabilidade e a transparência dos coletores de dados fazendo as considerações a seguir antes de assinar um serviço, baixar e usar um aplicativo gratuito, entrar em uma rede social ou comprar um produto:

Observar. O coletor de dados informou que está coletando dados privados?

Permitir. O coletor de dados pediu o seu consentimento expresso para a coleta e uso de dados privados?

Finalidade. O coletor de dados explicou por que está coletando dados privados?

Extensão do uso. O coletor de dados explicou quem usará os dados e por quanto tempo?

Permanência. O coletor de dados explicou o que será feito quando os dados não forem mais úteis?

No Dia da Privacidade dos Dados 2014, pense em maneiras de proteger sua privacidade. Pense também nos tipos de políticas e estruturas legais que você gostaria que protegessem os direitos à privacidade.

Se quiser saber mais sobre o Dia da Privacidade dos Dados ou questões de privacidade em geral, consulte estes recursos adicionais:

Aliança Nacional de Segurança Cibernética, Fique seguro on-line

Fundação de Fronteiras Eletrônicas, Um Guia para Viajantes com Dispositivos Digitais

Privacidade por Padrão, 7 Princípios Básicos

Aliança de Confiança On-line, Eventos do Dia da Privacidade dos Dados na Prefeitura

Chegou o Dia da Privacidade dos Dados: 3 coisas que você precisa fazer

Existem Apenas Três Ameaças Reais à Privacidade

Authors

Dave Piscitello