es

Fazendo progresso em relação aos nomes de domínio internacionalizados

30 de octubre de 2014

Nigel HicksonSally Shipman Wentworth

Además de estar disponible en los seis idiomas de las Naciones Unidas, este contenido también está disponible en

null

Esta semana, a conferência de embaixadores da International Telecommunication Union (ITU) em Busan, Coreia do Sul, reviu a Função de administrações dos estados participantes do gerenciamento de nomes de domínio internacionalizados (multilíngues), que é formalmente conhecida como Resolução 133 da ITU [PDF, 262 KB] (Guadalajara, 2010). A discussão abordou basicamente a forma de atualizar a Resolução 133 e avaliar o progresso conquistado desde 2010.

Esse exame nos oferece uma oportunidade conveniente de compartilhar dados sobre o progresso considerável que fizemos para implementar Nomes de domínio internacionalizados no arquivo da zona raiz do sistema de nomes de domínio (DNS).

Em 2010, os nomes de host usados no DNS eram limitados a um subconjunto de caracteres do Código padrão americano para o intercâmbio de informação (ASCII), usados para letras do alfabeto, dígitos e hífen (conhecidos como "LDH"). Isso significava que não podiam ser usados caracteres não latinos em sites e outros nomes de domínio que as pessoas digitariam ou nos quais clicariam. No entanto, em 2010, a Força tarefa para engenharia da Internet (IETF) e outros trabalharam muito, criando um padrão robusto e globalmente implementável de Nomes de domínio internacionalizados em aplicativos (IDNA) que possibilitaria que bilhões de novos usuários acessassem a Internet em seu script do idioma local. Em 2008, a IETF liberou uma versão revisada do padrão IDNA que possibilitava a representação de símbolos não LDH pelo DNS. Russ Housley, Presidente do Internet Architecture Board (IAB) e ex-presidente da IETF, escreveu sobre o processo de padrões de IDNA da IETF aqui.

Quando o padrão de IDNA foi lançado, os olhos do mundo voltaram-se para a implementação e o uso de IDNs. Então, o que foi conquistado desde então?

A resposta simples é: muitíssimo!

  1. Hoje, 43 domínios de primeiro nível de códigos de países IDN (ccTLDs) e 35 domínios genéricos (gTLDs) IDN constam da lista na raiz.
  2. Por meio do novo programa de gTLD da ICANN, espera-se que outros 50 ou mais nomes sejam autorizados nos próximos 12 meses.
  3. Esse crescimento abrange 800.000 IDNs de script em cirílico, registrados sob o ccTLD IDN рф; 750.000 ccTLDs IDN com scripts Han sob 中国/中國 e 台湾/台灣 e 12.000 sob ccTLDs com script em árabe. Mais exemplos podem ser encontrados no Relatório mundial sobre nomes de domínio internacionalizados 2014, disponível em: http://www.eurid.eu/files/publ/IDNWorldReport2014_Interactive.pdf [PDF, 6.19 MB]
  4. A ICANN trabalha ativamente para promover a participação da comunidade na formação de Painéis de geração para 28 scripts. Esses scripts são usados para gravar os idiomas modernos do mundo e desenvolver um script baseado em Regras de geração de etiquetas (LGR, Label Generation Ruleset). As LGR serão usadas para verificar a validade das etiquetas TLD e gerar todas as etiquetas variáveis. Os Painéis de geração ainda precisam ser formados para vários scripts, abrangendo: cirílico, grego, gujarati, japonês, coreano, latim, sinhala, tamil, thai e outros.
  5. A tecnologia atual continua impondo desafios para o uso de IDNs, porque a tecnologia foi basicamente projetada em torno do uso limitado de caracteres ASCII. A ICANN lançou uma iniciativa para a aceitação universal de IDNs, que trabalha para reunir as partes interessadas a fim de promover tecnologias que apoiem IDNs, inclusive endereços de e-mail internacionalizados.

Mas o que significam essas melhorias na prática? Em dezembro de 2013, havia mais de 6 milhões de nomes de domínio de IDN que representam mais de 2% do número total de nomes de domínio. Isso se traduz em um crescimento de 215% nos últimos cinco anos, um aumento impressionante em tão curto período.

Embora esses números representem um progresso significativo, ainda há muito trabalho a ser feito para garantir que as pessoas de todo o mundo possam acessar a Internet em seu próprio idioma. Como a Internet continua crescendo e está sendo criado mais conteúdo, o uso de IDNs também crescerá. É importante que os usuários tenham opções em seu próprio idioma, que possam ser operadas em várias tecnologias.

Temos o compromisso de tornar isso uma realidade.

Ajude a definir os padrões de seu idioma e script inscrevendo-se como voluntário para estabelecer e participar em um painel agora. Envie-nos um e-mail para idntlds@icann.org para saber mais.

Nigel Hickson

Sally Shipman Wentworth