es

Hedgehog, a novidade da ICANN

6 de octubre de 2014

Patrick JonesPatrick Jones, Senior Director, Global Stakeholder Engagement

Además de estar disponible en los seis idiomas de las Naciones Unidas, este contenido también está disponible en

null

A equipe de operações do DNS da ICANN – responsável pelo servidor de raiz "L" – anunciou recentemente uma mudança de nome, estrutura e membros. A equipe de operações do DNS agora se chama Equipe de Engenharia do DNS da ICANN. Nas últimas semanas, os membros das equipes de Engenharia e Participação Global de Partes interessadas apresentaram os desenvolvimentos mais recentes em relação à equipe, ao servidor de raiz "L" e às novas ferramentas de visualização do DNS em eventos como a UKNOF em Londres e a ENOG8 em Baku, Azerbaijão. A seguir, temos uma entrevista feita por Patrick Jones, diretor sênior de Participação Global de Partes Interessadas, a Terry Manderson, diretor da Equipe de Engenharia do DNS, que fala sobre as mudanças e próximas etapas.

Patrick – Recentemente, sua equipe mudou de nome para equipe de Engenharia do DNS. O que mudou? Você pode explicar o motivo da mudança?

Terry – A justificativa para a mudança do nome vem da visão de que as atividades dessa equipe abrangem muito mais que as operações do dia a dia. A equipe também é responsável por todo o projeto da plataforma do Servidor de raiz "L", além de outras infraestruturas utilizadas na ICANN. A equipe também tem experiência com os aspectos mais profundos dos protocolos do DNS, e com grande parte dos protocolos de Internet publicados pelo IETF. Portanto, "engenharia" é uma descrição mais adequada à nossa expertise e criatividade. Você também pode notar que nos concentramos mais na "equipe" que no "departamento".

A ICANN, e especialmente o setor de TI da ICANN, está amadurecendo como organização, e com isso passou a adotar equipes multifuncionais. O foco da nossa equipe respeita essa cultura, entendendo que se disponibilizarmos nossa expertise para todas as outras áreas da ICANN, de tempos em tempos aumentaremos ou diminuiremos o tamanho da nossa equipe para obter resultados excelentes.

Patrick – A equipe tem alguma área de concentração para os próximos seis a nove meses?

Terry – O foco em curto prazo é amadurecer nossos processos para garantir que eles sejam robustos e bem formados, como a nossa infraestrutura. No entanto, estamos fazendo um trabalho concentrado, voltado para o futuro, alinhando a estratégia da equipe à estratégia organizacional da ICANN.

Patrick – Recentemente, vocês lançaram o Hedgehog para visualizar as estatísticas do DNS. Você pode falar sobre essa ferramenta, como você acha que ela vai ser usada pela comunidade e que vantagens ela oferece em relação às ferramentas que a ICANN costumava utilizar para o Servidor de raiz "L"?

Terry – Há algum tempo, percebemos que a maneira como investigamos eventos do DNS e oferecemos transparência ao sistema, especialmente para operadores do Servidor Raiz, precisava ser melhorada. O projeto Hedgehog está em andamento há algum tempo, com o objetivo de melhorar como coletamos, organizamos e visualizamos as medidas do DNS, das 158 localizações do servidor de raiz "L" ( e esse número não para de aumentar).

Os benefícios para a transparência estão claros para nós. E se nós percebemos os benefícios, as outras pessoas também perceberão! Com isso em mente, abrimos o código do Hedgehog para a comunidade (consulte https://github.com/dns-stats/hedgehog/wiki/About). Além dos benefícios de visualização do DNS que o Hedgehog oferece, ele também é uma das implementações de referência para as recomendações do Comitê Consultivo do Sistema de Servidores Raiz (RSSAC) sobre a medida do Sistema de Servidores Raiz (RSSAC002). Se algum membro da comunidade quiser testar o Hedgehog ou participar de seu desenvolvimento, basta acessar www.dns-stats.org.

Patrick – A ICANN também lançou recentemente novas instâncias do servidor de raiz "L" com os parceiros da Yandex em Ykaterinberg, Rússia, da TW Telecom em Seattle, da Emirates Telecom em Dubai, e da Micron21 em Melbourne. Existem lacunas na cobertura única do servidor de raiz "L"? Onde você gostaria de ver novas instâncias no futuro?

Terry – O ideal seria ver pelo menos uma instância de servidor de raiz "L" em cada país, mas como todo engenheiro de rede esperto sabe, as fronteiras geográficas nem sempre são as melhores medidas. O ecossistema de redes da Internet é um conjunto complexo de disposições de negócios e decisões de políticas aplicadas ao roteamento. Então mesmo que exista uma [instância] do servidor raiz em um país, a extensão do serviço pode não cobrir a população conectada à Internet da forma esperada. Talvez uma ideia melhor seria ter uma instância do Servidor de raiz "L" hospedada ou vinculada a cada provedor de trânsito. Um objetivo imenso! Mas por ora temos alguns países-alvo em nossa lista. Todas as organizações que estejam dispostas a hospedar um servidor de raiz "L" podem entrar em contato conosco. E eu REALMENTE gostaria de estabelecer contato com possíveis hosts nos seguintes países: Hong Kong, Indonésia, Nepal, Bangladesh, África

do Sul, Quênia, Moçambique, Egito, Argentina e Granada. Para obter mais informações, os interessados podem acessar http://www.dns.icann.org/lroot/host/.

Patrick – Obrigado, Terry, essas informações são muito úteis. Quem tiver interesse em seguir a Equipe de Engenharia do DNS pode entrar no site https://dns.icann.org, e no Twitter @ICANNdnsEng.

Terry – Obrigado.

--

Terry Manderson é diretor da Equipe de Engenharia do DNS, e trabalha em Brisbane, Austrália. Patrick Jones é diretor sênior de Participação Global de Partes interessadas, e trabalha em Washington, DC.

Patrick Jones
Patrick Jones
Senior Director, Global Stakeholder Engagement

Patrick Jones

Read biographyRead biography