es

O caminho da instância do servidor de raiz "L" em Kolkata

23 de agosto de 2017

Anupam Agrawal

Además de estar disponible en los seis idiomas de las Naciones Unidas, este contenido también está disponible en

A implementação da instância do servidor de raiz "L" em Kolkata começou dentro do programa de apoio à infraestrutura crítica da Internet. A divisão de Kolkata da Sociedade da Internet (ISOC) foi apresentada em 2013. A filosofia dessa divisão sempre foi facilitar o desenvolvimento das capacidades técnicas das pessoas que trabalham com Internet na Índia.

Naquela época, uma das principais questões do programa era se a Índia deveria ter mais instâncias do servidor raiz para ajudar a direcionar o tráfego. Calculamos o número médio de usuários na região por instância do servidor raiz e concluímos que era necessário ter mais instâncias. As regiões da América e Europa tinham 4,5 milhões de usuários por instância, enquanto a Índia tinha aproximadamente 100 milhões de usuários por instância. Esse método é bem básico, mas nos deu um objetivo claro para avançar.

Com o apoio da comunidade indiana, começamos a abordar vários operadores de instâncias do servidor raiz e conversamos com a ICANN, o operador do servidor de raiz "L". Na época, a ICANN não operava uma instância desse servidor na Índia. O acordo com a ICANN é simples: a ICANN não cobra o host pela hospedagem da instância, e a equipe da ICANN cuida do software e do gerenciamento administrativo. A ISOC Kolkata é responsável pelo servidor, pela largura de banda e pelos custos de manutenção do servidor.

Fornecer hardware, tomar as medidas de segurança necessárias e conseguir largura de banda podem ser procedimentos de rotina para um provedor de serviços de Internet que hospeda uma instância do servidor raiz mas, para a nossa divisão, essa era uma experiência totalmente nova.

O processo de conseguir o servidor para Kolkata exigiu várias reuniões com nossos patrocinadores e fornecedores. Precisamos explicar aos órgãos tributários que a finalidade do servidor de Kolkata não era lucrativa nem de negócios.

Também precisamos encontrar um local para o servidor. Atualmente, ele está em um dos escritórios da ISOC Kolkata. Além disso, foi necessário estabelecer sistemas de segurança de acesso, inclusive grades nas janelas. Essa é a responsabilidade de ter infraestruturas críticas da Internet!

Nosso desafio mais importante foi conseguir largura de banda de alta velocidade para a conexão do servidor. Foi bem difícil conseguir apoio financeiro, mesmo de algumas das organizações sem fins lucrativos criadas para atender à comunidade da Internet na Índia. Isso atrasou o início das operações da instância do servidor de raiz "L". No final, uma empresa de telecomunicação concordou em oferecer patrocínio com a seguinte condição: nossa divisão assumiria a responsabilidade de concluir as últimas etapas para a conectividade. Essas etapas finais incluíam fazer perfurações, passar cabos e instalar antenas. Graças ao trabalho dos voluntários e ao apoio da comunidade, foi possível colocar a instância do servidor de raiz "L" em operação.

A equipe técnica coordenada por Anand Raje (vice-presidente da ISOC Kolkata) conseguiu fazer a conexão, e a equipe de engenharia de DNS da ICANN concluiu a instalação. Agora já estamos funcionando.

Dois dias depois da instalação, o tráfego aumentou e a largura de banda não foi suficiente. Depois de outra série de apresentações e conversas com provedores de serviços de Internet locais, conseguimos patrocínio para mais largura de banda.

Quando esse problema foi resolvido, ficamos muito satisfeitos. Gostaria de agradecer à nossa comunidade e aos patrocinadores pelo trabalho conjunto por essa causa, e também à equipe da ICANN, principalmente Champika Wijayatunga e Samiran Gupta do escritório regional da ICANN na APAC, Chris Mondini e a equipe de engenharia de DNS.

Esta é a segunda publicação da nossa série de três partes sobre o 4° aniversário do escritório regional da APAC. Se você perdeu a primeira, pode acessá-la aqui. Aguarde a terceira publicação em breve.

Anupam Agrawal