zh

9 de maio: comemorando a função da Europa na evolução da Internet

2016 年 05 月 9 日
作者: Jean-Jacques Sahel

null

Foto: cerimônia de encerramento da comemoração do ICG em Dublin no ICANN54


Logo após o Dia da Vitória na Europa (V-E Day), que comemora o fim da Segunda Guerra Mundial na Europa, no dia 9 de maio é celebrado anualmente o "Dia da Europa". Ele marca uma união. Desde o final da década de 40, pessoas de culturas, históricos e perspectivas diferentes, às vezes conflitantes, se reúnem em busca de um objetivo em comum: paz e prosperidade na Europa. Essa ideia parece familiar? Nós na comunidade da Internet estamos acostumados com esse tipo de projeto transnacional complexo.

A Europa certamente já atingiu grande parte desse objetivo de paz e prosperidade por meio de um trabalho gigantesco, apoiado por uma estrutura de sistemas inovadores para interações e governança comum desenvolvidos ao longo de muitas décadas. E, apesar do grande progresso conquistado, esses sistemas inovadores que sustentam a coordenação europeia precisam continuar evoluindo, à medida que a própria região se desenvolve, que sua economia e interações sociais mudam, que novas oportunidades e desafios se apresentam.

De maneira semelhante, o processo de transição da administração das funções da IANA (Internet Assigned Numbers Authority, Autoridade para Atribuição de Números na Internet) tem sido um exercício único na tentativa de aperfeiçoar e fortalecer ainda mais o modelo de múltiplas partes interessadas. Essa transição atraiu com sucesso várias partes interessadas relevantes do mundo todo para trabalhar juntas na criação de uma solução eficiente para um problema global complexo. Esse processo foi certamente o primeiro grande esforço realmente global e consultivo, aberto para todas as partes interessadas, sejam quais fossem, em busca de um objetivo em comum: trabalhar juntas na evolução de um sistema de governança para um dos principais alicerces de um importante recurso global, a Internet.

Da nossa parte, enquanto a equipe da ICANN na Europa, organizamos várias atividades para aumentar o conhecimento das partes interessadas europeias e incentivá-las a apresentar contribuições para a transição. No mundo todo, foram realizadas mais de 1.000 atividades desse tipo nos últimos dois anos. Esse foi um trabalho enorme e necessário, às vezes cansativo, mas igualmente importante e gratificante. Mas ainda não acabamos. Outras atividades estão sendo organizadas neste momento para informar sobre a proposta final, conforme enviada para a Administração Nacional de Telecomunicações e Informações (NTIA). Essas atividades incluem os workshops organizados na semana passada no Fórum do WSIS (World Summit on the Information Society, Cúpula Mundial sobre a Sociedade da Informação), em Genebra, e no EuroDIG (European Dialogue on Internet Governance, Diálogo Europeu sobre Governança da Internet), que será realizado em Bruxelas.

A transição foi um processo global, e não apenas europeu. Mas a contribuição da Europa para esse grande esforço global sem precedentes foi impressionante.

Tenho orgulho de ter visto a comunidade da Internet europeia tão bem representada [PDF, 1,26 MB], responsável por aproximadamente 30% de todos os participantes dos diversos grupos de trabalho da transição, e também contribuindo de maneira constante e significativa. A participação europeia foi uma grande força na elaboração de uma proposta consistente e consensual. Foi também na Europa que a proposta foi finalizada e aprovada, no ICANN54, em Dublin, antes do endossamento final no ICANN55, em Marrakesh, depois que a equipe de responsabilidade concluiu seu trabalho na transição.

Ultimamente, ouvimos rumores de que a Europa precisa "recuperar sua liderança" no mundo digital, como nos consagrados dias do GSM, há vinte anos, quando a Europa era vista por alguns como líder nas tecnologias digitais no mundo. No que diz respeito à parte de governança da Internet do mundo digital, a Europa já conquistou a liderança. Os europeus têm um lugar forte, positivo e cada vez mais bem estabelecido. O processo de transição tem sido uma demonstração clara e inspiradora disso. Devemos reconhecer isso e incentivar a Europa a fazer sua parte de maneira positiva, construtiva e entusiasmada em todas as camadas do ecossistema digital.

Hoje celebramos a Europa, e a realidade de que os europeus podem ter uma voz forte e respeitada no gerenciamento de um recurso global de modo colaborativo e positivo com todas as outras regiões, para ajudar na evolução da Internet para o bem de todos.

Authors

Jean-Jacques Sahel