Skip to main content

Informação atualizada do Estudo do BCG – Análise por conjuntos de países, agora disponível.

Esta página também está disponível em:

Clicar aqui para fazer o download [PDF, 236 KB]

Clicar aqui para ver a atualizacão no site de Perspectivas do BCG

Which Wheels to Grease? Reducing Friction in the Internet Economy é uma atualização do relatório de 2014 Greasing the Wheels of the Internet Economy, preparado pelo Boston Consulting Group, e encomendado pela ICANN. Essa atualização trata sobre a análise do "e-friction" ao observar suas principais causas e definir conjuntos de países que enfrentam desafios similares e que podem trabalhar juntos para procurar soluções similares.


Clicar aqui para ler a publicação completa no site do BCG

A redução do e-Friction oferece benefícios financeiros e aumento das velocidades

A atualização do Estudo do BCG 2014 revela cinco causas do e-Friction e sugere soluções

A resolução das cinco causas principais do "e-Friction" pode ajudar os países a obter maiores benefícios econômicos e sociais da economia digital e acelerar o crescimento, segundo uma análise do The Boston Consulting Group (BCG) publicada hoje.

Which Wheels to Grease? Reducing e-Friction in the Internet Economy atualiza o estudo do BCG de 2014 sobre e-Friction em 65 economias, que representam mais de 80% da população mundial e mais de 90% da atividade econômica mundial. Esse relatório introduziu o Índice de e-Friction do BCG, que identificou 55 indicadores individuais de e-Friction divididos em quatro categorias: infraestrutura, indústria, indivíduos e informação.

Um baixo e-Friction está estreitamente relacionado a uma alta penetração da Internet e a economias digitais fortes. Os países com menor nível de e-Friction têm taxas de penetração da Internet superiores a 80%, enquanto muitos países com alto nível de e-Friction têm taxas de penetração de 50% ou menos.

As cinco causas principais de e-Friction identificadas na atualização de 2015 são riqueza, densidade populacional, mix populacional urbano-rural, nível de alfabetismo e conhecimento do inglês. A riqueza é um fator importante, mas ele não explica o e-Friction por si próprio. As causas comuns do friction sugerem soluções de alto potencial.

"O comércio digital enriquece as nações", disse Paul Zwillenberg, parceiro do BCG e co-autor do relatório de 2014 e de sua versão atualizada. "Mas nem todas as nações participam da mesma maneira na troca de bens, serviços, ideias e informação, porque o e-Friction interfere. Alguma das causas do e-Friction pode ser influenciada por iniciativas políticas; outras exigem abordagens mais criativas".

Ao analisar as economias pelos seus escores de e-Friction e seu PIB per capita obtemos oito conjuntos, divididos em três grupos por níveis de renda. Aquelas que procuram reduzir seu e-Friction deveriam começar por dar prioridade à importância relativa de cada causa; depois disso, deveriam elaborar uma estratégia para cada uma. Aquelas do mesmo conjunto enfrentam os mesmos desafios e é provável que em algumas instâncias (mas não em todas), persigam soluções similares.

As nações rurais em desenvolvimento devem lidar com muitos problemas de infraestrutura básica. Uma série de mercados emergentes está experimentando com vários modelos de financiamento e operacionais. A melhor tecnologia depende das condições locais, com uma combinação de tecnologia sem fio móvel e fixa, em geral, a mais barata para áreas rurais e de satélites, frequentemente a melhor opção para áreas verdadeiramente afastadas.

As nações com renda média podem se beneficiar muito com os esforços para demonstrar o valor da Internet a suas populações e assim levar mais pessoas a utilizar a tecnologia online. Há bons modelos a seguir em quatro áreas chave: estímulo ao desenvolvimento de conteúdos locais, incremento da alfabetização digital, simplificação do acesso e uso e diminuição de custos.

Mesmo os países com um e-Friction relativamente baixo devem enfrentar problemas digitais difíceis, como os de privacidade e segurança dos dados, que, se forem administrados incorretamente ou deixados sem resolver poderão "jogar areia nas engrenagens" mencionadas no título da matéria. Alguns têm mais fontes de e-Friction para resolver, como as relacionadas às regulamentações obsoletas, à excessiva burocracia e às barreiras para os investimentos. Eles devem focar suas intervenções com cuidado.

"A expectativa é que a economia digital cresça a uma taxa anual de 10% no mundo inteiro nos próximos anos e de 15% - 25% em mercados em desenvolvimento", disse Fadi Chehade, presidente e CEO da Corporação para Atribuição de Nomes e Números da Internet (ICANN), quem encomendou o relatório de 2014 e sua atualização. "A competitividade nacional vai depender cada vez mais em como os países lidam com o e-Friction. A economia digital é um espaço ao qual quase todas as nações podem recorrer para aumentar a renda em negócios e a taxa de empregos".

Acerca do The Boston Consulting Group

The Boston Consulting Group (BCG) é uma firma de consultoria de gestão global e assessora líder mundial sobre estratégia de negócios. Trabalhamos em parceria com clientes dos setores privado, público e sem fins lucrativos em todas as regiões para identificar suas oportunidades de maior valor, resolver seus desafios mais críticos e transformar suas empresas. Nossa abordagem personalizada combina uma profunda compreensão das dinâmicas das companhias e mercados com uma estreita colaboração em todos os níveis da organização do cliente. Isto garante que nossos clientes obtenham uma vantagem competitiva sustentável, construam organizações mais capazes e se assegurem resultados mais duradouros. Fundada em 1963, BCG é uma companhia privada com 81 escritórios em 45 países. Para mais informações, visite bcg.com.

Acerca de bcgperspectives.com

Bcgperspectives.com apresenta as últimas opiniões de especialistas do BCG, bem como de CEOs, representantes do setor acadêmico e outros líderes. Trata questões prioritárias para a agenda da gerência de alto nível. Também fornece um acesso sem precedentes ao extenso arquivo de líderes do pensamento do BCG, desde há 50 anos até os dias de Bruce Henderson, fundador da firma e um dos arquitetos da consultoria da gestão moderna. Todos nossos conteúdos – que incluem vídeos, podcasts, comentários e relatórios— podem ser acessados por PC, telefone celular, iPad, Facebook, Twitter e LinkedIn.


More Announcements
Domain Name System
Internationalized Domain Name ,IDN,"IDNs are domain names that include characters used in the local representation of languages that are not written with the twenty-six letters of the basic Latin alphabet ""a-z"". An IDN can contain Latin letters with diacritical marks, as required by many European languages, or may consist of characters from non-Latin scripts such as Arabic or Chinese. Many languages also use other types of digits than the European ""0-9"". The basic Latin alphabet together with the European-Arabic digits are, for the purpose of domain names, termed ""ASCII characters"" (ASCII = American Standard Code for Information Interchange). These are also included in the broader range of ""Unicode characters"" that provides the basis for IDNs. The ""hostname rule"" requires that all domain names of the type under consideration here are stored in the DNS using only the ASCII characters listed above, with the one further addition of the hyphen ""-"". The Unicode form of an IDN therefore requires special encoding before it is entered into the DNS. The following terminology is used when distinguishing between these forms: A domain name consists of a series of ""labels"" (separated by ""dots""). The ASCII form of an IDN label is termed an ""A-label"". All operations defined in the DNS protocol use A-labels exclusively. The Unicode form, which a user expects to be displayed, is termed a ""U-label"". The difference may be illustrated with the Hindi word for ""test"" — परीका — appearing here as a U-label would (in the Devanagari script). A special form of ""ASCII compatible encoding"" (abbreviated ACE) is applied to this to produce the corresponding A-label: xn--11b5bs1di. A domain name that only includes ASCII letters, digits, and hyphens is termed an ""LDH label"". Although the definitions of A-labels and LDH-labels overlap, a name consisting exclusively of LDH labels, such as""icann.org"" is not an IDN."