Blogs de la ICANN

Los blogs de la ICANN brindan información actualizada sobre actividades de desarrollo de políticas, eventos regionales y demás novedades.

Participação corporativa na ICANN: como é o engajamento de três grandes empresas

12 de junio de 2014
Por Christopher MondiniChristopher Mondini

Em um esforço para expor as práticas recomendadas sobre como organizações do setor privado se relacionam com a ICANN, eu conversei com representantes do Facebook, da Telefonica e da Philips — três centros de poder globais em setores muito diferentes — para descobrir como é sua participação. Perguntei a eles o que funciona e o que não funciona.


FACEBOOK: "Você tem que aparecer"

Há 5 anos, Susan Kawaguchi é gerente de nomes de domínio do Facebook e, anteriormente, atuou na mesma função na eBay. Ela diz que muitas empresas não sabem que registrar e gerenciar um nome de domínio envolve muito mais do que um trabalho burocrático. O processo envolve implicações estratégicas e de risco. Pelo fato de ter trabalhado em uma empresa como a eBay, que depende de seus nomes de domínio e tem uma forte presença na Internet, Susan pôde apresentar o panorama geral para seus colegas no Facebook. Quando Susan começou a participar dos encontros públicos da ICANN, ela ficou impressionada com a descoberta de que decisões momentâneas sobre domínios — que implicam em milhões de dólares de receita para algumas empresas — são tomadas predominantemente pelas pessoas que vão aos encontros. As pessoas na mesa representam um grande número de organizações e interesses, mas não necessariamente eles se aplicam a todas as empresas. "Você tem que aparecer para saber o que está em jogo e para refletir precisamente os interesses de sua empresa", ela afirma.

Susan é membro do Grupo Constituinte Corporativo (BC) da Organização de Nomes Genéricos (GNSO), mas também tem um histórico de trabalho com a parte jurídica no que diz respeito a marcas e propriedade intelectual, permitindo que ela se envolva com assuntos legais e de IP em todos os órgãos da ICANN. Dessa maneira, ela pode avisar seus colegas do Facebook do surgimento de qualquer assunto urgente, muitas vezes envolvendo proprietários de negócios e líderes seniores do Facebook em importantes decisões, como, por exemplo, se devem ou não se inscrever para um gTLD. Uma observação: o número de participantes do Facebook nos encontros da ICANN aumentará neste ano com as equipes de política e segurança representadas nos próximos eventos.

Conselho de Susan para um novo membro da ICANN: "Encontre um mentor e aproveite ao máximo a sala para novos membros nos encontros."


TELEFONICA: "O modelo pode parecer um desastre, mas é melhor do que qualquer outra alternativa!"

Alfredo Timermans foi o chefe da política pública global da Telefonica e agora administra um escritório nos Estados Unidos. A Telefonica tem tido representantes nos grupos constituintes de GNSOs e em outros órgãos de políticas no passado e é atualmente um membro do grupo constituinte dos Provedores de Serviços de Internet (ISPCP).

Alfredo se descreve como uma "pessoa de políticas". Para ele, a proposta de valor de participar da ICANN é claramente como uma ligação com questões maiores de governança da Internet. A ICANN também representa um desenvolvimento de políticas de múltiplas partes interessadas que está em andamento.

A opinião sincera de Alfredo é de que a implementação do programa de novos gTLDs foi desafiante e colocou em risco a reputação da ICANN. Para empresas como a Telefonica, tropeços operacionais, além da despesa e da complexidade do processo exigiram muita paciência, muito esforço e investimento. As operações fortalecidas e o envolvimento ativo da ICANN em questões globais de governança da Internet ajudaram a restaurar sua confiança, e Alfredo tem esperança de que a ICANN está seguindo uma trajetória positiva.

Citando uma famosa frase sobre democracia, Alfredo afirma: "o modelo da ICANN pode parecer um desastre, mas é melhor do que qualquer outra alternativa". Ele continua: "Pode ser lento, complexo e demorado. Às vezes, é difícil sentir que suas ações têm um impacto na ICANN, mas você pode ver que todos têm voz".

A Telefonica é uma empresa global e digital. Os produtos e os serviços que beneficiam seus clientes em contrapartida aproveitam o benefício de uma Internet aberta, global e ampliável. A ICANN representa um modo de participação da empresa no trabalho que ajuda a manter o crescimento da Internet.

Perguntado para dar um conselho para os novos membros, Alfredo sorri dizendo: "Não aja como se fosse uma bagunça — porque realmente é! Mas, sempre vá aos encontros, ouça, converse e participe. Você vai achar o trabalho muito útil".


PHILIPS: "Equilibrando risco e oportunidade"

A Philips é consistentemente classificada como uma das marcas mais reconhecidas do mundo. Ingrid Baele, responsável pelo Gerenciamento Local e de Operações no grupo de Padrões e Propriedade Intelectual, contribui para essa proteção.

Ingrid já estava acompanhando o trabalho da ICANN quando o programa de novos gTLDs foi anunciado. Ela imediatamente reconheceu o possível impacto na marca da Philips. Ao mesmo tempo, ela visualizou oportunidades para seus colegas do gerenciamento de marca e marketing digital. Felizmente, o lançamento do programa de gTLDs coincidiu com a nomeação de um Chefe de Marketing Digital da Philips. Foi em conjunto com ele que Ingrid convocou um comitê ad hoc, que busca participação em toda a empresa. Sua própria equipe de IP, o departamento de tecnologia da informação, e uma seleção de unidades de negócios tiveram participação. Seus colegas de gerenciamento de marca e e-commerce também foram representados. Quando Ingrid explicou o programa, a equipe de marketing digital começou o trabalho, desenvolvendo ideias visionárias sobre domínios a serem solicitados. A Philips se inscreveu para solicitar duas cadeias de caracteres: .philips e . 飞利浦 (.philips em chinês).

Um resultado que será permanente dessa abordagem é que agora existe uma rede de equipes em toda a Philips interessada no trabalho da ICANN. A rede pode ser ativada conforme a necessidade surge — Ingrid serve como um contato com a ICANN entre seus colegas. "O mais importante para mim é fazer parceria com as unidades de negócios. Pode haver riscos, mas eles normalmente vêm junto com oportunidades. Analisar os riscos e as oportunidades e equilibrá-los é o valor que nossa equipe de IP agrega à Philips", ela explica. Certamente, poder explicar as complexidades da ICANN também é um grande serviço.

Ingrid vai a alguns encontros da ICANN, em que participa de vários grupos e sessões. Entre eles, estão o Grupo Constituinte de Propriedade Intelectual (IPC) e o Grupo de Registros de Marcas. Como muitos participantes, Ingrid acha difícil acompanhar os desenvolvimentos, mas aproveita ao máximo o número crescente de veículos de comunicação da ICANN para manter-se informada. Ela também discursou em eventos de estratégias de novos gTLDs, explicando a abordagem da Philips em relação a outras empresas e juntando ideias para a implementação de TLD na Philips.

Ingrid dá o seguinte conselho para os novos membros da ICANN: Embora o escopo da ICANN seja muito mais amplo do que relevante para proprietários de marcas, é importante tomar conhecimento de seus programas e se comunicar pessoalmente com os líderes da comunidade e da equipe da ICANN responsáveis por áreas em que você tem dúvidas ou questões.


Sou muito grata pelo tempo e pelas ideias compartilhadas por essas partes interessadas em negócios. Vamos trabalhar juntos para incorporar esse feedback nas próximas atividades de Participação Corporativa da ICANN. Você tem ideias ou conselhos para compartilhar? Entre em contato comigo diretamente ou envie um e-mail para businessengagement@icann.org

Christopher Mondini é vice-presidente de Participação Global de Partes Interessadas da ICANN

Authors

Christopher Mondini

Christopher Mondini

Vice President, Stakeholder Engagement & Managing Director, Europe
Read biographyRead biography