en

A jornada das partes interessadas - Los Angeles, Cingapura e muito mais

25 February 2015
By Christopher MondiniChristopher Mondini

Desde a ICANN 51 em Los Angeles, vários membros da equipe da ICANN e líderes da comunidade estão totalmente dedicados à questão da divulgação, especificamente a como transformar os observadores novos em voluntários. Durante o recente encontro da ICANN em Cingapura, falei com muitos participantes - novatos e veteranos, ativistas e observadores - para perguntar o que os trouxe à ICANN e como incentivar a participação mais ativa.

Muitos voluntários líderes (e muito experientes) da ICANN identificaram o mesmo desafio que tinham identificado em Los Angeles. Embora o destaque da ICANN como organização tenha aumentado e o número de seguidores, leitores e comentários sobre o trabalho da ICANN tenha crescido, isso não resultou no aumento do grupo de voluntários qualificados e produtivos para compartilhar o trabalho. Os diferentes grupos de trabalho, comitês consultivos e organizações de apoio da ICANN não contam com talentos suficientes para cuidar da carga de trabalho atual. Em outras palavras, existe uma lacuna no caminho que leva uma parte interessada a se tornar um participante ativo.

Fechar essa lacuna foi um dos desafios debatidos pelos líderes da comunidade durante uma sessão sobre assuntos de interesse no primeiro dia do ICANN 52 em Cingapura. [O arquivo pode ser encontrado aqui]. Tentamos manter o diálogo durante a semana colocando um infográfico no estande da ICANN, na área de inscrições, e pedindo mais ideias da comunidade.

Algumas perspectivas de negócios

Como sou VP de participação corporativa, em Cingapura passei algum tempo investigando por que até mesmo as partes interessadas corporativas (que muitos imaginam que contam com mais recursos que outros grupos) têm dificuldades para dedicar seu tempo e energia às questões da ICANN. Em alguns casos, os executivos sênior não sabiam que o trabalho da ICANN é essencial para manter a Internet global e interoperável, crucial para o sucesso de qualquer empresa.

Mas isso pode mudar. Perguntei a reconhecidas empresas de tecnologia o que as trazia para a ICANN, a fim de determinar o nível de atividade que podem ter. Um representante da Amazon, empresa que recentemente expandiu sua equipe de especialistas em políticas de Internet, disse: "Somos uma empresa de Internet. O que acontece na ICANN é importante para os nossos negócios e os nossos clientes". Um funcionário da Adobe opinou: "As políticas feitas na ICANN afetam as empresas, mas a maioria das empresas ainda não sabe disso (e também não sabem que podem participar da criação dessas políticas)". Ele também disse que participar da ICANN ajuda sua empresa a saber "o que os governos estão pensando". Ele passou a maior parte do tempo nas sessões do Comitê Consultivo para Assuntos Governamentais.

O público contou com muitos gigantes tecnológicos dos Estados Unidos. Microsoft, AT&T, Apple, Intel, Oracle, Google, Facebook e Yahoo! estavam presentes na lista de inscrição.

Várias empresas globais, como Sony, Alibaba, Ericcson, Etisalat e Nokia também estavam em Cingapura. Em alguns casos, são empresas que acabaram de se envolver no programa de novos gTLDs. Conversei com um representante da Sony que estava muito empolgado com seu novo TLD e um pouco surpreso porque o modelo da ICANN permite que as empresas participem das discussões sobre as futuras rodadas de novos TLDs. A abertura do modelo e a capacidade de participar da criação de políticas pode ser uma surpresa para empresas que conhecem a ICANN há pouco tempo.

Os setores automobilístico, de serviços financeiros, e de mineração também estavam presentes. Eles participaram das sessões do "Tech Day", voltado para questões de segurança, e também do Grupo de Especialistas Técnicos, que analisou os efeitos da Internet das coisas sobre as empresas e a própria Internet. As sessões sobre a Conformidade Contratual da ICANN e gTLDs também chamaram a atenção do público corporativo.

Dentro da GNSO (Organização de Apoio a Nomes Genéricos), os três grupos constituintes do setor privado dedicaram tempo a assuntos como divulgação, treinamento e participação. A equipe da ICANN e os líderes dos grupos constituintes fizeram planos de combinar seus recursos e expertise para lidar com tarefas como gerenciamento de membros, melhoria do site e atividades de recrutamento.

Muito trabalho pela frente

Esses planos acompanham bem os temas que surgiram na sessão de assuntos de interesse, temas comuns para todas as partes interessadas, não só as corporativas. Eles também combinam com algumas das respostas que recebemos à nossa principal pergunta: "Como podemos conseguir mais voluntários para trabalhar mais?" Algumas ideias foram: promover a orientação, eliminar o uso de jargões, dividir o trabalho em tarefas menores e diferenciar os assuntos por público. O foco na diversidade linguística*, geográfica e de gênero também foi um tema de destaque.

Acho que trabalhando com os líderes da comunidade da ICANN, podemos continuar com o progresso que tivemos em Cingapura, continuar recebendo ideias dos novatos e dos mais experientes, e manter um fluxo de participantes empolgados e ativos no trabalho de políticas da ICANN por muitos anos.

* No espírito da acessibilidade linguística, aqui estão os links para as traduções de uma publicação recente do blog de participação corporativa:

https://www.icann.org/news/blog/icann-b65665ff-218d-4406-bf9f-11046bc83745

https://www.icann.org/news/blog/bien-mi-empresa-esta-interesada-en-la-icann-ahora-que

https://www.icann.org/news/blog/oui-mon-entreprise-s-interesse-a-l-icann-et-maintenant

https://www.icann.org/news/blog/minha-empresa-esta-interessada-na-icann-e-agora

https://www.icann.org/news/blog/icann-e67e3d9d-de2c-423d-855c-ff5be1cb878a

https://www.icann.org/news/blog/icann-71a250cb-1aec-40ff-abed-bba9738b5396

Authors

Christopher Mondini

Christopher Mondini

Vice President, Stakeholder Engagement & Managing Director, Europe
Read biographyRead biography